Carregando...

quarta-feira, 21 de abril de 2010

MARIDO, O Líder Do Lar!

No mundo secular, diante da ascensão do feminismo, dizer que o marido é o líder do lar soa como tom de ofensa. Para muitos, a submissão feminina à liderança masculina coloca a mulher em posição inferior. Contudo, isso não passa de um grande mal entendido, pois, o ensino bíblico sobre a liderança masculina, revela que a esposa é o centro da atenção e dos esforços do marido, ressaltando, então, a sua importância e seu valor.
Essa atitude de repulsa para com a idéia da liderança masculina dar-se, por causa do falso entendimento de que o marido, por ser o líder, tem o direito de decidir e fazer o que quiser, como um ditador soberano.
Porém, quando a bíblia ensina que o marido é o líder do lar, ensina também que essa liderança deve ser com amor. Em Efésios 5:25-29, o apostolo Paulo apresenta três tarefas que envolve uma liderança com amor.
Em primeiro lugar, uma liderança com amor envolve suprir as necessidades materiais do cônjuge. A palavra “alimenta” encontrada no v.29, revela que o marido lidera o lar sendo o provedor da família, cabe principalmente a ele trazer para dentro de casa aquilo que é necessário para o sustento de todos. Biblicamente, a mulher não é proibida de trabalhar, porém, quando isso se torna motivo de insubmissão à liderança masculina, ou prejudica o bom andamento da família, deve-se abrir mão. Para ser um bom provedor, o marido precisa confiar na providência de Deus, se não, será um líder ansioso, e terá a companhia de uma esposa ansiosa, e um casal ansioso torna-se um casal estressado, e por sua vez, um casal estressado é um campo minado que a qualquer momento explode em brigas que dividirão o lar. Sem medo de errar, podemos dizer que as finanças tem sido um dos grandes motivos de brigas e separações entre casais.
Uma liderança com amor também envolve suprir as necessidades emocionais do cônjuge. Existe um grande preconceito por parte dos homens neste ponto, e muitos acham que a bíblia não opina nesta questão, e, por causa disso, concluem que sua tarefa é somente suprir as necessidades materiais. São muitas vezes maridos frios, rudes, e até destratam as esposas quando se dirigem a elas. Em relação a alguns, até os próprios animais demonstram mais carinho.
Entretanto, para a surpresa de muitos, este ponto é biblicamente ratificado. Nos vs. 28-29, Paulo diz que o marido que ama a esposa, está amando também a si mesmo, e, aquele que ama a própria carne, a alimente e dela cuida. Portanto, o amor pela esposa deve ser expressado através do cuidado. A palavra “cuida” usada no texto traz a idéia de um tratamento carinhoso, e até mesmo romântico. Esta palavra é usada apenas duas vezes em todo o Novo Testamento, além do texto mencionado, ela aprece em 1 Tessalonicenses 2:7 expressando a idéia de uma ama que “acaricia”, ou seja, trata carinhosamente seus filhos. Portanto, o cuidado do marido, deve envolver uma demonstração profunda de carinho, suprindo, assim, as necessidades emocionais da esposa.
Ele precisa conhecê-la , para saber o que a torna mais feliz, mais alegre, mais contente ou mais realizada, e assim, agir, para que ela seja emocionalmente completa.
Esta idéia é clarificada, quando Paulo diz que este é o mesmo cuidado que Cristo tem pela igreja. E quando Cristo cuida da igreja, Ele age carinhosamente, tornando-a mais feliz, mais alegre, mais contente e mais realizada.
Gesto simples como, “pegar na mão”, “dar flores em datas especiais”, “dizer: eu te amo”, “colocá-la no colo”, revelam carinho e suprem emocionalmente a esposa.
Por último, uma liderança com amor envolve suprir as necessidades espirituais do cônjuge. Este ponto, apesar de ser o último, eu diria que é o mais importante, pois, é biblicamente tratado com mais ênfase. Nos vs. 25-27, Paulo fala de como Cristo se entregou pela igreja, para santificá-la, e torná-la espiritualmente perfeita. E da mesma forma o marido deve liderar a esposa promovendo sua santificação e amadurecimento espiritual. Ele é o sacerdote do lar, responsável por promover o crescimento espiritual da família.
O amadurecimento espiritual é a chave para uma família equilibrada. Uma esposa, por exemplo, que é suprida materialmente, mas, não espiritualmente, torna-se uma pessoa materialista. E quando ela é suprida apenas emocionalmente, e não tem maturidade espiritual, torna-se egoísta.
A liderança do marido não acaba quando ele chega do trabalho, mas, continua até que reúna a família na presença de cristo e de sua palavra, e a prepare para vir à igreja.
Pastor José Figueiredo.

Nenhum comentário: